segunda-feira, junho 28, 2010

Pelo direito de gostar de futebol

Ontem eu coloquei uma bandeirinha da Argentina no meu avatar do twitter. Quem me conhece mesmo sabe que, acima de tudo, aquilo foi uma brincadeira; eu coloquei porque achei engraçado (senso de humor doente? Não sei.). Quem não me conhece veio criticar e/ou dar indiretas.
Eu sempre assisti aos jogos da Copa do Mundo por causa do jogo, da minha paixão pelo esporte, e não por alguma seleção (paixão por time é só pelo Palmeiras). De acordo com o que eu penso, quem tem um futebol mais bonito merece ganhar mais e ponto final. Em 2002? Foi Brasil na cabeça. Em 2006? Não, obrigada. Esse ano eu acho que é a Argentina que merece, ignorando toda essa nossa "rivalidade" histórica com eles. 
Não é nada contra quem torce muito, vibra, chora & morre pela seleção brasileira, só que acontece que eu não consigo, e é muito chato esse povo que vai com quatro pedras na mão pra cima de alguém que não acha que o Brasil é a seleção que mais merece ganhar a Copa (pior quem confunde preferir o futebol de outra seleção com torcer contra o Brasil – eu jamais torceria contra a seleção do meu país, independentemente de quantos babacas façam parte dela ou quão ruim ela esteja jogando).
Hoje de manhã eu ‘tava pensando nessa história toda e acho que isso é coisa bem típica de brasileiro mesmo, pelo menos aqui do sul. Mora em cidade X, mas diz que prefere Y? É pisoteado. Mora no Paraná e torce pra algum time de São Paulo? Querido, você merece a forca.
Eu não estou dizendo que devem concordar com isso, mas sim que devem aceitar a opinião do outro de forma não agressiva. Eu sei que esse negócio de paixão é complicado e neguinho vira bicho com quem discorda, mas ser racional é o que nos difere dos outros animais, não?
Eu entendo e respeito (muito) quem é mais nacionalista que eu (mesmo que seja só em época de Copa do Mundo) e não consegue enxergar além da seleção canarinho, apenas quero ter minha opinião respeitada também (sequer espero aceitação), sem ser tratada como um demônio de mullets. Apenas isso.



(Ah, só mais uma coisa: você que não sabe o que é um impedimento ou quem é o melhor jogador do mundo, pode falar o que quiser, mas seu posicionamento não conta pra mim.)

2 comentários:

Claudio disse...

Esse assunto é manchado de hipocrisia. Não engulo algo que não sinto, rivalidade de verdade, pra mim, só existe entre clubes. E não aceito essa de que é assunto de fronteira, porque torcer para o Uruguai, protagonista da maior derrota brasileira na história das copas, tudo bem, sem contar a simpatia que sempre existe com o Paraguai, Chile e etc.

E como já disse, só torcerei CONTRA a Argentina quando jogar CONTRA o Brasil. Até porque ser a favor do futebol é sempre importante pra que gosta de verdade do esporte (que eu nem gosto de chamar de esporte, de tanto que acho especial, é muito além disso, enfim).

Maurício disse...

outra coisa chata é quando levantam argumentos históricos "ai, brasil ganhou cinco vezes e argentina só duas" como se o passado influenciasse na sua decisão atual. esse pessoal não entende que a questão não é história e patriótica, e sim emocional e esportiva.
te amo (e vai si fudéé o resto do mundo)