terça-feira, setembro 02, 2008

I wish I had a metal heart

Gostaria de ser menos flexível com as pessoas. Não tenho o menor dom para mandar (a não ser em namorados, hahaha), ser patroa.
Por exemplo hoje, quando tive que reclamar com a senhora que trabalha aqui em casa que a cabeceira da minha cama estava muito empoeirada. Fui um pouco grossa pra mostrar que eu 'tava insatisfeita, mas ela se mostrou super prestativa e foi limpar na mesma hora. Foi o suficiente pra me deixar com peso na consciência por ter sido estúpida.
Sou assim desde criança. Odiava quando via minha mãe dando "bronca" na nossa empregada ou nas funcionárias dela na clínica. Odiava quando me caía nas mãos "chefiar" algum grupo de trabalho na escola e precisar exigir mais dos meus colegas.
Quem é patrão é porque nasceu para ser patrão, por um lado deve ser gostoso, mas por outro a pessoa tem que agüentar poucas e boas.
Vejo pela minha mãe, o instituto de audiologia dela só é reconhecido pelo esforço que ela faz. É ela quem confere tudo, é ela quem fecha a clínica (às vezes depois das 22h), é ela quem tem menos dias de folga no ano, é ela quem tem que gritar com os outros quando a coisa 'tá ruim.
Por essas e outras que já vejo meu futuro pintado: fazer parte do proletariado, ter décimo terceiro, x dias de férias obrigatórios no ano, recesso em feriados, cesta de frutas no Natal...
E é assim que vai ser.

5 comentários:

tatiana disse...

Eu tenho complexo de patroa e gosto de mandar em pessoas que estão na mesma condição que eu. Por ex., se é pra dar bronca em colega durante a aula, acho ótimo. Mas me sinto uma arrogante de merda se tenho que fazer o mesmo com a senhora que trabalha na minha casa. Então, em partes, te entendo. 'tamo junto! ;)

Thomas disse...

eu só queria saber daonde você tirou que manda no namorado.. :(
UAHUHAAU :******

Lucas disse...

Eu já não consigo manter o pulso quando não gosto de algo. Por exemplo, eu começo a namorar e eu não tô aguentando a pressão por algum motivo ou outro. Eu prefiro que a pessoa fique com uma imagem ruim de mim comigo sendo um "cachorro" e enfim colocando um ponto final no relacionamento do que deixar a pessoa triste sendo totalmente sincero. Aliás, eu sou sincero, mas prefiro usar a sinceridade com amigos.

ENFIM.
Eu também não sirvo pra ser boss e infelizmente isso vem sendo uma "opção" (ou falta de). É representante da sala da faculdade, é coordenador do grupo na visita do fórum internacional da cultura, é o "inteligente", o responsável. QUE PORRA, ME ESQUEÇAM.

Beijos Ma.

Lana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lanaha disse...

Não, eu não li o comentário acima.

Mas ei, eu tambem não nasci pra liderar. Nasci pra ser escrava, empregada, e rica, logo digo.