domingo, abril 11, 2010

da arte de me irritar com coisas banais - I

Resolvi criar outra linda série no meu blog. 
Quem me conhece sabe que é muito fácil me irritar. Eu sou estressadinha, do tipo que periga ter um ataque cardíaco aos 32 anos de idade (embora a Brittany Murphy tenha tido e, cara, ela parecia tão relax). E me irrito com coisas banais, muito banais. Por exemplo...

o orkut

O orkut é uma merda. Tá, não que seja uma super merda, porque se não fosse o orkut talvez eu não tivesse conseguido cds de bandas que só eu gosto ou reencontrado meu primo que eu pensava estar morto. É uma merda porque eu, assim como muitas pessoas (acredito), tenho o hábito de julgar os outros pelas comunidades do orkut, e sabem, queridos amigos, tem muita gente que entra em comunidades de coisas das quais não gostam DE VERDADE. “Nossa, Mariana, que surpresa” - pois é!
Sim, eu sou aquele tipo de pessoa chata que acha que só é legal quem gosta das mesmas coisas que eu. Tipo, eu vou ter achar um nada se você nunca viu um filme dos irmãos Coen ou se você não dá risada com o Sérgio Mallandro.
O problema do orkut é que é muito fácil você “gostar” das coisas. Se você quer entrar na comunidade do Hitchcock basta apertar “participar”; você não precisa responder a um quiz sobre o diretor pra mostrar se você é digno ou não de estampar a comunidade dele no seu perfil. Daí um dia chega uma coitada que resolve virar legalzona e entra, por exemplo, na comunidade do Michel Gondry, sem saber que ele já dirigiu dois clips do Beck (até porque essa pessoa só deve ter ouvido “loser” na vida), ou que ele é muito feio (porque nunca viu sequer uma entrevista com ele – ou quem sabe viu a da Marina Person, e olhe lá).
Aí grandes porcaria’ eu amar o Wes Anderson com toda a minha alma, ou o Spike Jonze ter sido o primeiro diretor que o meu namorado citou gostar no dia em que a gente conheceu e fez com que eu desse gritinhos histéricos com isso, porque o tosco que escreve errado pode virar “fã” deles em apenas um clique. Mágico, não? Não.




(alguém, por favor, diga pra mim que eu sou normal)

5 comentários:

Mauriuço disse...

haha, a parte do quiz foi uma boa idéia, é uma pena que as pessoas iriam agir de má fé e pesquisar tudo no google. Deveria ser uma entrevista pessoal, do tipo que você clica no JOIN e um holograma surge na sua frente (marromeno igual o cara da fantástica fábrica de chocolates surgia depois que alguém tirava o chocolate premiado, de surpresa) fazendo um questionário sobre o assunto da comunidade.

Lucas Soares disse...

you're completely normal, Má. pelo menos eu busco acreditar que, analisando a sociedade deste parâmetro, nós somos os normais.

Claudio disse...

pô, eu tava pensando nisso hoje mesmo. pensei "puta merda, eu não tô na comunidade do oasis, e tem muita gente que não sabe quem é o noel e tá lá, firme e forte" enfim, orkut tá ai pra banalizar.

mas como eu sou um cara otimista, sempre torço pra que essas pessoas entrem na comunidade, conheçam e passem a gostar de verdade. pois coisas que eu gosto, gosto também de recomendar.

eu fico feliz de ver pessoas tentando achar um pouco de cultura, porque você sabe bem como é a nossa cidade, e o tanto que queremos um dia ligar a 92 fm que seja, e ouvir um programa de qualidade.

tatiana disse...

A gente tende a ter ciuminho daquilo que nos agrada muito, né? Sei bem como é isso. Toca aqui! o/

Lanaha Gapski disse...

Você é normal, Mariana! Eu também me irrito com isso, mas finjo que não vejo porque as pessoas que fazem isso não merecem que eu me importe com elas. Quem vai abaixar a cabeça o dia que estiverem falando sobre o hitchcock e ela, apesar de estar na comunidade, não souber de fato quem ele é e o que fez, vai ser ela. E você vai poder rir disso interiormente. Um beeeeeeeijo :*