terça-feira, abril 07, 2009

Essa mulher



Eu tinha uns 12 anos quando esse vídeo “bombava” (hahaha sorry, não encontrei outro termo) no Disk MTV.
Eu adorava o clipe e a música, apesar de não entender direito algumas coisas que o Arnaldo Antunes cantava.
Esses dias lembrei da música do nada, e me deu vontade de ver/ouvir. E é claro que dessa vez eu entendi bem melhor. É genial.
Ridículos são os comentários no youtube, dizendo que a música é uma baixaria, que o Arnaldo é um depravado e coisas do gênero – não todos os comentários, é claro. Au contraire, mon ami.
Se no fundo o Arnaldo é depravado mesmo, não faço a menor idéia; mas ao escrever a música, a última coisa que ele foi foi ser depravado.
Para esse mundo em que a mulher é vista apenas como um objeto, a crítica e o aviso do compositor e cantor são claros: homens, sejam carinhosos, companheiros, atenciosos. Se é só pra sexo, a mulher se vira muito bem sozinha.
E eu tiro o chapéu pra você, Arnaldo.

Um comentário:

tatiana disse...

Vou te falar, a última prova da misoginia maldita que assola esse meu Brasil foi a Pri ter ficado em segundo lugar no Big Brother.

Okay, BBB. Não parece lá muito cult usar essa joça como argumento, mas a menina só não levou o milhão porque cai no clichê de "vadia" - leia-se "mulher que admite que gosta de dar e pronto". O que, parafraseando uma amiga minha, é patético: se 99% dos homens que assistem o programa (cof) trepariam com a guria, por que não dar logo o dinheiro e deixá-la ser feliz?

Não sou feminista nem nada, mas a luta ainda será longa.