quinta-feira, fevereiro 19, 2009

frutas

No ponto de ônibus
vejo crianças
(simples)
com seus picolés
de acerola
de 1 real
(pura água)
suspiro e lembro
daquela boca
laranja
e da minha
cor de cereja
tornando-se
uma só
(um vermelho que cega)



ps: desculpem-me por esses poeminhas cretinos, é que ultimamente eu ando tão sonhadora que penso que qualquer um pode (tentar) ser poeta.

Um comentário:

Lucas disse...

Ma, que delicadeza, poxa. Gostei bastante.

Beijo poeta :*