quinta-feira, novembro 06, 2008

Chata

Eu queria escrever alguma coisa que prestasse, mas eu não consigo.
Há um tempo atrás eu acreditava que só escrevia coisas boas (lê-se "não tão ruins") quando eu 'tava passando por algum momento, no mínimo, chato. Quem me conhece e acompanha esse blog, com certeza dirá que prefere textos de x ou de y época, e eu tenho certeza que serão de alguma fase na qual tudo 'tava uma merda.
Acontece que eu acho que essa minha teoria falhou. Sim, caras moscas que lêem o meu blog, passo por uma merda de momento e mesmo assim não me vem inspiração alguma. Porque seja um momento meio tenso talvez, não sei; se eu pudesse encontrar uma explicação seria mais fácil.
Enfim, tentei escrever sobre como sinto vergonha por fazer parte de uma juventude como a minha, sobre como me emputece ver pessoas tentando "roubar" de mim coisas que podem me diferenciar das outras gurias (e que brotaram de mim, só de mim - ok, com grande influência do meu pai), sobre como é ruim sentir saudade da minha mãe...o fato é que não saiu NADA. Até tentei dar uma de Clarice Lispector e vomitar as palavras -num fluxo de consciência tenebroso-, mas ficou uma porcaria.
Blé.

5 comentários:

tatiana disse...

Aquela teoria do Hank ao contrário, né? Eu também sou assim.
Mas às vezes o cérebro precisa de descanso, Ma, só isso. A vantagem é que a gente escreve porque quer e pra quem quer, não há obrigações.

Thomas disse...

isso acontece com todo mundo, "a inspiração não avisa" pior é quando você a tem e mesmo assim escreve porcarias auhuahua
beijõoooooooo

Lucas disse...

Ma, pra mim, pelo contrário, vc conseguiu passar exatamente o que está acontecendo. Eu também sempre fui assim. Me sai melhor quando estava numa fase ruim, me expressava melhor quando tava tudo uma merda. Mas aqui estou eu, também numa das piores fases da minha vida, num ritmo que nunca estive antes, com saudades imensas de minha mãezinha, de meu pai, da minha irmã mais nova. A única coisa que está me ajudando e que, por acaso, vc até citou neste post, é Clarice Lispector. Mas ela tá me ajudando de um jeito "indireto". Tenho lido aquele livro "correspondências", uma obra meio biográfica sobre ela. Tenho lido sobre a visão dela sobre as coisas do dia-a-dia (visão esta maior do que as visões literárias). Tá difícil... tá bem difícil. Eu conseguia me sentir melhor só escrevendo, colocando tudo o que eu sentia pra fora. Vomitando, tendo aquela verborragia legal. Mas, nos últimos dias isso não tem acontecido. Enfim, chega de te enxer com asneiras.

=*

Bill disse...

As palavras em nós, estão engendradas no sangue, seguem o fluxo do coração e do mundo a girar em torno... Eu posso dizer que sei o que está passando, claro que em relação as palavras... Ficamos parecendo um poço vazio, onde todo dia vamos a sua beirada e ficamos ali, a olhar o negro a vazio das nossas almas... Vez ou outra jogamos uma pedra para tentar ouvir o barulho... mas quase nunca há respostas...
Mas palavras tem vida propria, por mais que as liguemos em momentos nossos, elas estão em silêncio, mas hora ou outra elas saem gritando...

Beijo dona moça... E doce semana...

:**

ps: que tudo melhore (=

Anônimo disse...

Hi
http://www.smeesh.com/ - meridia diet
The initial recommended dosage is 10 mg of Meridia once daily with or without food.
[url=http://www.smeesh.com/]reductil weight loss[/url]

The most common adverse effects of Meridia include nausea, headaches, stomach aches, flushing, dizziness, constipation, joint or muscle pain and dry mouth.
meridia diet

Meridia is a neurotransmitter reuptake inhibitor which reduces the reuptake of norepinephrine, serotonin, and dopamine that subsequently improves the levels of these substances in synaptic clefts therefore enhancing the feeling of satiety.