sexta-feira, julho 25, 2008

ET, telefone, minha casa.

Onde é minha casa? Com certeza não é mais em Guarapuava.
Descobri isso no primeiro dia das minhas férias, quando cheguei lá.
O meu quarto no apartamento da minha família não era só meu, também era da minha irmã de oito anos (a idade é só um mero detalhe, ela é mais sábia do que muita criança de dezoito). O quarto continua sendo dela, mas não é mais meu, quando entrei lá há 3 semanas atrás, percebi isso na hora.
São só os livros dela na estante, são só as coisinhas dela na cômoda, o computador tem um wallpaper que ela escolheu. Minhas coisas que ainda não vieram pra Curitiba habitam o armário: meus livros do Anglo, minha mochila velha, meu cubo Meteoro, o tripé da câmera, a caixa da câmera. Coisas que antes ficavam espalhadas pelo quadrado agora ficam entulhadas num guarda-roupa.
Não que eu ache isso ruim, eu preciso mesmo criar asinhas e sair do colo da mamãe...mas o foda é que eu ainda não considero "meu" (porque o cordão umbilical se extende até o aluguel) apê daqui de Curitiba minha casa.
=~

Um comentário:

tatiana disse...

Sentir-se de fato inserida, comofas bial??//?