sexta-feira, maio 30, 2008

Enjôo

- Que ódio, mãe! A Paulinha passou no vestibular, e eu não.
- Oh, amorzinho, não fique triste. Tenho certeza que ela se veste mal.


Como algumas pessoas podem ser tão fúteis, e o pior, incentivadas pelos próprios pais?
Não sei se fico triste ou revoltada.

Se nossas próprias vidas não tivessem cortes e edição, o diálogo teria que ser mais ou menos assim:

- Que ódio, mãe! A Paulinha passou no vestibular, e eu não. Tá certo que ela estudava 5 horas por dia, e abria mão das festas. Enquanto eu já tô repetindo o cursinho e mato aula pra ir ao shopping, além de não perder um pagodinho no final de semana!
- Oh, amorzinho, não fique triste. Tenho certeza que ela se veste mal. E no fundo, você sabe que mamãe prefere que você sempre esteja com roupinha de marca e namore um cara rico, ao invés de entrar em uma boa faculdade de engenharia, né?

Um comentário:

tatiana disse...

:D
Em Curitiba se vê muito mais disso, não, dona Mariana? Especialmente no Positivo.
Depois de um tempo, você já não fica triste nem revoltada - passa a sentir pena de gente assim, limitada.