sábado, fevereiro 24, 2007

Máscaras

Ela era do tipo invejada por todos. Bonita, bem-sucedida no que fazia e vira e mexe aparecia com algum namorado bonitão.
Era simpática com todos, e não entendia como existiam pessoas com problemas de firmação, auto-estima..."somos todos lindos!" - falava.
Mas quando chegava em casa, e deixava a maquiagem escorrer pelo ralo da pia, olhava-se no espelho e os olhos brilhavam intensamente...por causa das lágrimas.

4 comentários:

poeta quebrado disse...

adorei!

seria este um post autobiográfico?
^^

os fracassos são essenciais para a poesia, e acredito que a poesia venha, no minimo na maior parte dos casos, da frustração.
por isso, primeiro, um fracassado se torna um poeta. Para depois, devido a frustração, tornar-se um poeta fracassado. Ou talvez eu seja o único que funciona dessa maneira.

obrigado.


dois beijos.

Bill disse...

A vida é uma baile de mascaras, cada um com a sua, quase nada é o que parece, e quando olhamos para nós, descobrimos que algumas vezesa mascara não sai mais...

Ja falei que adoro suas palavras né... Poizé bem... Adoro... E me lembrei hoje da Camille Laurens


"(...) seria isso a qualidade comum à literatura e ao verdadeiro amor: não temer a nudez sob a máscara que tirámos, nem a serpente que vemos dançar atrás da porta que abrimos."

Beijos dona moça e otima semana pra tu.

:**************

tatiana disse...

É exatamente por isso que, em certos aspectos, conhecimento é algo tão difícil, ao menos na minha opinião. De uma maneira ou de outra, todos nós temos nossas máscaras, e elas tendem a se tornar cada vez mais "reais" com o passar do tempo. Assim, fica complicado não só conhecer verdadeiramente os outros, como também a nós mesmos.

Como sempre, bom post, Ma. Fez pensar. ;)

Beijones

Anna disse...

ser o que se deve ser...
ser o que de fato é...

difícil, não!?

belo teu blog. intenso, do jeito que eu (Anna) gosto.